Cocoon é o que acontece quando um casal francês se une pra tocar músicas de letras infantis e melancólicas, sobre o mar, amizades e romances. Com vozes suaves e quase indistinguíveis e que se fundem a instrumentos como o banjo e o ukelele e deixam a vida agridoce, com a cara daqueles dias de chuva.
 Cocoon, até agora, é a maior descoberta musical do meu ano. 

A dupla, Mark e Morgane, ganhou críticas boas na França e conquistou um espaço fixo na minha biblioteca. Eles têm dois CDs, dois EPs  e mais os singles lançados,  as músicas são classificadas como folk, têm letras simples e inocentes que parecem escritas por crianças. Todas são cantadas em inglês, mas os dois membros são franceses.  Infelizmente eles são pouco conhecidos no Brasil.

As músicas do duo francês estão em basicamente dois álbuns, o My Friends All Died in a Plane Crash – 2007 (e eu não sei realmente o motivo pra ele ter esse nome) e Where The Oceans Ends - 2010. Não consigo falar só de uma música ou escolher uma preferida. Ambos os discos são muito bons e tem suas particularidades, ‘My Friends All Died...’ é o primeiro deles, alavancou a carreira dos dois e conquistou a França porque é diferente do que já rolava por lá (bom, pelo menos é o que eu consegui ler por aí). Depois veio Where the Oceans Ends e só confirmou o que eu já sabia, Cocoon é incrível.


Hello, hello, I take you on a trip...

É do My friends all died in a plane crash, a primeira música que ouvi da dupla, e ela se chama Chupee e é a mais ouvida de todas as músicas do Cocoon na rádio Last.fm. Chupee  é alegre, infantil e me deixa com vontade de sair pela rua cantando e dizendo “hello” pros cães e pros pássaros (não há sentido nisso, não procure). Confesso que não consegui distinguir a voz do homem e da mulher quando ouvi pela primeira vez, é uma sincronia única. Take off é a primeira faixa deste álbum, e, diga-se de passagem, é uma ótima primeira impressão. Me lembra música pra se cantar pra bebês e tem frases soltas, como “I had a bear, gone to Hawaï”, o que inclusive é uma característica de todas as canções, já que algumas frases simplesmente não vão fazer sentido vagando no meio das melodias. 

And I saved seventeen baby seals … from the tide…

Where the oceans ends tem a capa de CD mais bonita que eu já vi, tem uma grande nuvem em forma de baleia flutuando entre abismos. O CD é tão bom quanto a capa e todas as músicas têm um toque marítimo, seja no nome, na letra ou nos acordes dos instrumentos. Sabe aquela sensação boa do mar, de calmaria e paz, do sibilo do vento? É o que esse CD me passa. Exatamente a calmaria. O único single do Where the Oceans Ends é Comets, que tem um vídeo muito bom em que Mark e Morgane, aparentemente depois de caírem de avião numa ilha, acham um mapa e são guiados por ele até uma baleia branca, gigante e voadora. 


Dee Doo, a terceira faixa deste disco, tem um efeito em mim semelhante a Postcards from Italy” de Beirut, aquela vontade explosiva de dançar com uma garota, naquele ritmo dos anos 80, que é a batida inicial da música. Por fim, costumo chamar as duas últimas canções desse álbum de “combo depressão”. São elas Baby Seal e In My Boat, falam de coisas totalmente diferentes, mas ambas são muito melancólicas. Baby Seal aparentemente fala de alguém que passou muito tempo longe e está voltando, ou indo. O que mais deprime em Baby Seal é o canto de baleia no meio da música e o bobo “hi mum, hi dad, i’m back”. Já  In my Boat  tem uma letra que parece ser de uma garotinha com ciúme infantil do amigo. Todos dizem "oooowww".

Podem perguntar “por que a maior descoberta musical do ano?”, eu respondo. É que Mark e Morgane fazem um som simples, inocente, infantil, não usam efeitos sonoros mirabolantes, não precisa de gritos e frases apelativas pra conquistar, ou ainda repetições intermitentes de palavras. Cocoon não fixa na cabeça, você ouve pra relaxar, é a perfeita trilha sonora pra se observar a chuva ou pra tocar enquanto você abraça sua mãe, o travesseiro ou alguém que é especial. Cocoon marcou e vem marcando bons momentos da minha vida, acho que por isso tenho tanto amor pela banda.

Ouça obrigatoriamente todos os discos (hohoho). Ou dê uma olhada nessas aqui: Chupee, Take Off, Hummingbird e Baby Seal. Daí você me diz depois, aqui nos comentários, se gostou e se acha, tanto quanto eu, o quão bom é ouvir Cocoon. 


   

Até mais, um abraço de tigre do Hobbes!