Adaptação de uma HQ famosa escrita pelo canadense Bryan Lee O'Malley, Scott Pilgrim mistura o universo surreal dos quadrinhos com a atmosfera dos games clássicos e do rock de garagem dos anos noventa. Se passa em Toronto, Canadá, e conta a história do personagem homônimo, o jovem baixista da banda Sex Bob-Omb.

Scott é um jovem nerd de 22, bem-humorado e cheio de problemas. Sua banda de indie rock não faz sucesso, divide o aluguel da casa (e até o colchão) com Wallace, seu amigo gay, tem uma irmã adolescente que não larga do seu pé e ainda por cima levou um fora de sua namorada, depois de ela se tornar uma estrela da música pop. Para superar tudo isso, ele começa a sair com uma colegial chinesa, Knives Chau. Tudo parece estar indo bem até que ele vai a uma festa com seus amigos e lá conhece uma garota americana que acabou de se mudar para Toronto.

Ele se apaixona por essa misteriosa entregadora de encomendas da Amazon.com, Ramona Flowers, uma garota que esbanja estilo com seus cabelos coloridos e que possui sete ex-malvados (ex-namorados controladores de seu futuro amoroso) que Scott tem que enfrentar e derrotar para seguir com o relacionamento. Enquanto isso, Scott ainda tenta superar sua ex-namorada, dar um fora em Knives e conseguir um contrato com uma gravadora para sua banda.

Wallace: -"Se você quer muito uma coisa tem que lutar por ela. Prepara o seu jogo, Scott, lança a palavra com 'A'."
Scott: -"Árvore?"
Wallace: -"A outra palavra com 'A'."
Scott: -"Arvorês?" 
Wallace: -"Amor, Scott."

A trama acelerada faz uso de um humor jovem e piadas óbvias, e que de tão previsíveis fazem rir (ou não)... É um filme divertido e recheado de referências à cultura pop. Scott é interpretado por Michael Cera, um verdadeiro especialista em fazer o papel de garoto nerd.

O que achamos, em uma frase:







Eu ri! 

Idiotamente engraçado.

Infantil e sem sentido.

Jovem, diferente e chocante. Eu gostei. 

Você sabia que o nome "Pacman", na verdade, vem do japonês "paku paku", que quer dizer "abrir e fechar a boca"?