Pare. Respire. Me responda, você conhece Phoenix?

Sim, “você conhece... pá” é minha frase de efeito. Eu estou realizando estudos psicológicos e garanto que perguntas não respondidas fazem as pessoas lerem os textos. Ok, não estou realizando estudo nenhum. Mas agora, você já foi com a minha cara e está lendo isso aqui (rá).

Se você já ouviu a banda, continue a ler e veja se compartilhamos a mesma opinião, se não, conheça agora. Para adiantar por seu lado, eu aconselharia você a descer a página e pôr para carregar as músicas, assim, já dá pra ouvir direto quando terminar de ler. :)

This is show time, this is show time, this is show time... Time, time is your love, time is your love, yes time is your!

Phoenix é um banda francesa, mas que não canta francês. Não consigo definir o estilo deles (eletro/algo indie), nem sou perito nisso. O que eu sei é que eles são bons, têm uma música esperta e com um vocal singular que vicia. Já ouvi e li de algumas pessoas que acham ligação com Strokes e Interpol. Bom, concordo parcialmente com isso.

Wolfgang Amadeus PHOENIX (uma mistura do nome de Mozart com o nome da banda) é o mais recente CD do grupo - 2009 - e devo dizer que eu conheci os caras por ele. CD fantástico (“ah, você fala que tudo é fantástico”. É. Hohoho). Principalmente por Lisztomania, mas não só por causa dela. Pra mim é a melhor, eu nem consigo mais ouvir ela sentado.

Existem outras muito boas... Rome (saia pulando no “fall fall falls” do fim), Love like a sunset (um crescente de montanha russa. Vai, vai, vai e desce de costas. Ouça no fone de ouvido e fique tamborilando os dedos adoidado. É uma música sem letra, a priori.), Girlfriend, etc.

Existe um padrão em todas as faixas desse álbum, o que não significa que ele é monótono e igual, não, pelo contrário. O padrão ao qual me refiro é uma afeição desmedida da banda por repetição. Repetição em tudo. Batida e letra. É “Rome Rome Rome Rome”, “Farewell, well, well, well, well, well, well 'Til you know me well?” e o incrível: “We're sick, sick, sick, sick, sick,sick, sick, sick, sick, sick, sick. We're sick for the big Sun”. Não estranhe, você ainda vai cantar isso no chuveiro, porque é isso que deixa tudo viciante.

Existem outros CDs, e eu peço desculpa aos fãs, porque eu ainda não tive muito contato com os outros álbuns. É que eu não consigo parar de ouvir o Wolfgang. Conheço a banda há pouquíssimo tempo, mas é incrível o estrago que os caras já fizeram no meu "vira-disco". É uma galera diferente, e um estilo de música mais animado, bem novo pra mim. Espero que gostem quando ouvirem.

Vamos lá, não faça uma cara blasé francesa. Plugue a caixa de som no pc e saia dançando com o cachorro no "do let, do let, do let, jugulate, do let, do let, do" de Lisztomania!

   Countdown                        Lisztomania                   Rome


'Té! :)